LEITURAS E LEITORES


O PRÉDIO DA BIBLIOTECA: EMANAÇÕES SIMBÓLICAS E CULTURAIS DE UMA CIDADE

Simbolicamente do prédio da Biblioteca emanam aspectos históricos e culturais que constituem o imaginário da população adulta, jovem, idosa ou infantil de uma comunidade.

O prédio histórico figuradamente difunde laços afetivos, históricos, culturais. Isso contribui à composição de identidades individuais e coletivas acerca do papel da Biblioteca e sua relação com o passado, com o presente e, ao mesmo tempo, aponta ao futuro.

De acordo com o IBGE, o Brasil possui 5.570 municípios e a maior parte deles é considerada de pequeno e médio portes. Nesses municípios é comum que o principal prédio da Biblioteca Pública esteja localizado no centro da cidade.

A localização da Biblioteca Pública é fundamental para o acesso da população a seus serviços, por isso a instalação deve estar em local que seja ponto de passagem, circulação de pessoas, movimento da cidade, onde se encontram as instituições públicas, por exemplo. Assim, a Biblioteca torna-se visível e mais acessível a todos os moradores e, assim, além de manter os seus serviços e usuários frequentes, também prospecta novos usuários e serviços que pode oferecer.

Muitas cidades aproveitam um prédio histórico para instalar sua Biblioteca Pública. Há prédios que, com o passar do tempo, adquirem outra identidade, outra função pública; entretanto, em sua fachada, na composição arquitetônica permanece a identidade anterior que se interliga à memória e à história da localidade. Nesse universo, a seguir, apresentam-se duas bibliotecas públicas de cidades paranaenses, Tibagi e Londrina, instaladas em prédios históricos.

Tibagi está localizada na região dos Campos Gerais e sua vegetação combina cerrado, araucárias, matas ciliares. No passado, a cidade foi conhecida pela exploração de pedras preciosas, o diamante, principalmente. Além disso, possui o mesmo nome de um dos rios mais importantes do Paraná.

Atualmente, a cidade é conhecida pelo turismo relacionado aos esportes realizados no rio Tibagi e, principalmente, pelo Parque Estadual do Guartelá que possui o sexto maior cânion do mundo.

Fundada em 1872, Tibagi possui pouco mais de 20 mil habitantes e preserva alguns prédios mais antigos, próximos à Praça da Igreja Matriz, dentre eles está o prédio da Biblioteca Pública.

 

 

Biblioteca Pública Municipal de Tibagi

A criação da Biblioteca Pública Municipal de Tibagi ocorreu em 1965, por meio da Lei nº 440 e funcionou inicialmente em outro espaço. Só a partir de 1983 a Biblioteca passou a funcionar no endereço atual, rua Ana Beje nº 1. (ASSUNÇÃO, 2021).

O prédio que abriga a Biblioteca Pública Municipal Historiador Luiz Leopoldo Mercer foi construído no início do século XX e funcionou como Grupo Escolar da cidade, chamado “Escola Municipal Telêmaco Borba” até 1977. A construção foi iniciada em 1913 e finalizada em 1915. Entretanto, o funcionamento da escola se deu a partir de 1916, com a nomeação da primeira professora D. Maria da Luz Virgolino da Silva (MERCER; MERCER, 1977).

O prédio da Biblioteca Pública de Tibagi desponta imponente em meio à arquitetura simples da cidade. A exuberância da cidade vem da natureza, do rio Tibagi, mas não de suas construções e, nesse contexto, o prédio da Biblioteca destaca-se pela beleza e conservação. O visitante de Tibagi constata o lugar de destaque da instituição Biblioteca para o município, a importância daquele serviço público para a comunidade tibagiense.

Da região dos Campos Gerais para o Norte do Paraná encontra-se Londrina, uma das principais cidades Paraná. Fundada em 1934, possui população estimada em 580 mil habitantes (IBGE, 2021).

A Biblioteca Pública Municipal de Londrina foi criada em 23/11/1940, pelo Decreto nº 78, entretanto, foi inaugurada em setembro de 1951. Assim, Londrina é uma cidade que tem a biblioteca em sua identidade, desde a criação do município, ou seja: são 87 anos de criação do município e 70 anos de funcionamento da Biblioteca Pública (LONDRINA, 2021).

Após ter sedes em outros espaços da cidade, desde 1984 a Biblioteca Pública Municipal Pedro Viriato Parigot de Souza de Londrina foi transferida para o prédio do antigo Fórum da cidade, situado no centro da cidade, próximo à catedral metropolitana.

 

 

Biblioteca Pública Municipal Pedro Viriato Parigot de Souza

O prédio tem sua frente voltada para a Avenida Rio de Janeiro, tomando praticamente o quarteirão, pois incorpora o antigo Fórum e o Tribunal do Júri, que se transformou em teatro anexo à Biblioteca:

 

 

Panorâmica do Prédio Biblioteca e Teatro – Londrina PR

A Biblioteca Pública Municipal de Londrina está localizada numa edificação histórica para a cidade, pois se trata de um dos prédios construídos no centro da cidade que evidenciam a transição do aspecto rural para o urbano e que converge com período de grande desenvolvimento cultural e econômico da cidade. Além disso, inicialmente, o terreno onde está a Biblioteca era a quadra de saibro dos ingleses que exploravam a região por meio da Companhia de Terras Norte do Paraná.

O prédio que por muitas gerações foi o cenário para fotos de casamentos que eram realizados no Fórum, hoje perpetua a história com o oferecimento de serviços bibliotecários para netos e bisnetos de antigos casais que fizeram sua união civil naquele espaço. E, ainda, reafirma aspectos históricos e afetivos para população da cidade.

Além disso, o prédio tem se tornado atração noturna à cidade por meio do projeto de iluminação temática, ou seja, de acordo com datas históricas e comemorativas da cidade e do país, alteram–se as cores e a disposição da iluminação.

 

 

Vista noturna do Prédio

O aspecto externo, o arquitetônico e o cuidado com o prédio de caráter histórico destinado à Biblioteca Pública apontam para o apreço da população à instituição Biblioteca, aos serviços oferecidos à comunidade.

Por fim, as bibliotecas públicas são instrumentos culturais indissociáveis na construção social do conhecimento, da cultura e das artes em prol da composição de uma sociedade plural, democrática, que preconiza a autonomia do indivíduo.

Consultas

ASSUNÇÃO, Neri Aparecido. Re: Informação por e-mail acerca da Biblioteca Pública de Tibagi/Diretoria do Museu Histórico Desembargador Edmundo Mercer Júnior de Tibagi [mensagem recebida por rovilson@uel.br] em 03 de jan. de 2022.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA [IBGE]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama. Acesso em: 27 dez. 2021.

LONDRINA. PREFEITURA DE LONDRINA. Biblioteca Pública Municipal “Pedro Viriato Parigot de Souza”. Disponível em:  https://portal.londrina.pr.gov.br/bibliotecas/biblioteca-publica-municipal-prof-pedro-viriato-parigot-de-souza?showall=1. Acesso em: 15 jan.2021.

MERCER, Edmundo Alberto; MERCER, Luiz Leopoldo. História de Tibagi. 2. ed. Curitiba: Gráfica e Editora Linarth: 1977. Disponível em: https://tibagi.pr.gov.br/upload/downloads/historia_de_tibagi.pdf. Acesso em: 30 dez. 2021.

VIDULLI, Paola. Diseño de bibliotecas: guia para planificar y proyectar bibliotecas públicas. Gijón [Espanha]: Ediciones TREA, 1998.


   219 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
LENO, ESCULTOR DA ILHA BOIPEBA- BAHIA
Março/2022

Ítem Anterior

author image
LOBATO E EMÍLIA: A VIDA NUM PISCAR DE OLHOS!
Outubro/2021



author image
ROVILSON JOSÉ DA SILVA

Doutor em Educação/ Mestre em Literatura e Ensino/ Professor do Departamento de Educação da UEL – PR / Vencedor do Prêmio VivaLeitura 2008, com o projeto Bibliotecas Escolares: Palavras Andantes.