PRINCIPAL
COLUNAS
CURIOSIDADES
DESBASTANDO O ACERVO E OUTROS TRECOS DA BIBLIOTECONOMIA
EXPERIÊNCIAS
GENERALIDADES
MERCADO
NOTÍCIAS
TEXTOS
PESSOAL
DISCIPLINAS
CADASTRO
CONTATO
(R)EVOLUÇÕES EM BITS
A BIBLIOTECA DO BIBLIOTECÁRIO
AÇÃO CULTURAL
ALÉM DAS BIBLIOTECAS
ARQUIVOLOGIA
BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR - NOVA FASE
BIBLIOTECA PÚBLICA
BIBLIOTECAS ACADÊMICAS
BIBLIOTECAS PÚBLICAS Y COMUNITÁRIAS
BIBLIOTECAS, SOCIEDAD Y ESTADO
BIBLIOTECONOMIA DIGITAL
CINEMA
ESTAÇÃO BIBLIOTECA E AS PLATAFORMAS DO CONHECIMENTO
FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO
GESTÃO EMPRESARIAL NA ERA DA INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO E CIÊNCIA
INFORMAÇÃO E SAÚDE
INFORMAÇÃO JURÍDICA
LEITURAS E LEITORES
LITERATURA INFANTOJUVENIL
MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO
NÃO ESTÁ NO GIBI
OBRAS RARAS
ONLINE/OFFLINE
ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO
PASSOS E ESPAÇOS DO ESTUDANTE
PRÁTICA PROFISSIONAL E ÉTICA
TEMPOS IDOS E VINDOS
ONLINE/OFFLINE
Colunas Fernando Modesto

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL À FRANCESA: O ARCHIMÈDE
[Janeiro/2006]

A utilização de ferramentas livres de código aberto para implantação de inovados modelos de registro e disseminação da informação científica tem sido célere em bibliotecas universitárias, no mundo. A comunidade bibliotecária brasileira tem como decorrência desta ampla utilização global, uma variedade de opções para selecionar e escolher em seus projetos de desenvolvimento de fontes digitais de informação especializadas.

Vivenciamos uma revolução na comunicação científica, com impactos na atividade bibliotecária. Segundo Rida Benjelloun (responsável pelo desenvolvimento do software Archimède), há uma revolução na informação causada pelo uso de ferramentas que permitem estruturar repositórios temáticos e institucionais que possibilitam organizar e difundir o conhecimento científico produzido pelas universidades, faculdades e instituições de pesquisa, tornando este conhecimento acessível.

Para um conceito que nasceu, praticamente, no início da década de 90 do século 20, com a experiência do arXiv nos Laboratório Nacional de Los Alamos, Novo México (EUA), sua crescente adoção nos últimos quatro anos é significativa. No Brasil vai se ampliando projetos de construção de repositórios de conteúdos em especial de dissertações e teses e algumas tentativas de consolidar a culturas dos arquivos de "e-prints (preprints e reprints). Uma ação muito incentivada no Brasil pelo IBICT, entre outras agências aderentes ao conceito dos arquivos abertos.

Neste sentido, entre as opções de sistemas destaca-se o programa de construção de repositório Archimède, desenvolvido por Rida Benjelloun e Nicolas Bélisle para a biblioteca da Universidade de Laval, situada na cidade de Quebec (Canadá).

 

A utilização do software Archimède

 

O programa destina-se ao desenvolvimento de repositórios digitais em instituições acadêmicas e de pesquisa. Foi projetado para armazenar documentos digitais gerado pelos docentes e pesquisadores da universidade. Oferece recursos comuns a estes tipos de programas como: coleta, armazenamento, importação e exportação, indexação, preservação, gerenciamento e disseminação e difusão da informação. Entre outras características técnicas encontra-se: interoperabilidade, compatibilidade com os padrões e princípios do modelo dos arquivos abertos (OAI-PMH) e o conjunto de elementos de metadados Dublin Core. O programa armazena documentos em diversos formatos de arquivo como: HTML, PDF, MS Word, MS Powerpoint, MS Excel, Open Office Suíte, TXT, RTF e outros. 


 

Repositório Institucional

 

No ambiente dos sistemas livres de código fonte aberto, são variadas as opções existentes. Assim, é necessário aos bibliotecários analisarem as opções e definirem critérios de seleção destas ferramentas.

 

No caso do Archimède, os programas de fonte aberta analisados não se mostraram de fácil adaptação ao contexto organizacional da universidade de Laval. Porém, três critérios definiram pelo seu desenvolvimento:

 

  1. Idioma do sistema. A comunidade a fazer uso do sistema tem uma língua comum de comunicação. Sob este aspecto analisou-se a necessidade de ter um sistema multilíngüe e avaliou as complexidades e facilidades de adicionar novas linguagens às interfaces das ferramentas. Poucos programas ofereciam essa possibilidade. O Archimède apresenta interface para os idiomas: francês, inglês e espanhol.

 

  1. Recursos de indexação. Oferecer possibilidade de indexar tanto os metadados, quanto os textos completos dos documentos em seus vários formatos digitais. Algumas ferramentas oferecem a possibilidade de indexar o texto completo do documento, mas não os metadados.

 

  1. Executável em ambiente operacional variado. Há bibliotecas que contam somente com servidores (e suporte de pessoal especializado) para ambiente Windows e buscam um produto que possa ser facilmente adaptado ou usado para essa infra-estrutura. É uma questão de custo na medida em que não há necessidade de se comprar servidor (hardware e software) dedicado ao software de arquivos abertos. Os softwares, nesta categoria, destinam-se na sua maioria para o ambiente Unix e Linux compatíveis.

 

  1. Recursos orçamentários. Considerar o escasso orçamento para refazer um sistema ou desenvolver uma aplicação. Neste item optou-se por trabalhar com protocolos abertos e ferramentas livres de geração de códigos para configurar e relacionar interfaces e banco de dados em um consistente sistema.

 

O Conceito de comunidade no sistema

 

Inspirado no software DSpace, o programa Archimède emprega a concepção de comunidades de pesquisa auto-reguladas que podem ser responsáveis pela criação e gestão dos conteúdos digitais de suas coleções.

 

Por meio de um sistema de depósito, os usuários vinculados às comunidades são estimulados a depositarem sua produção de pesquisa ou publicações nas respectivas coleções e descreve-los com metadados, por meio de uma interface específica.

 

Para possibilitar a construção de um repositório compartilhado por comunidades distintas, o sistema internamente estrutura sua utilização em níveis de privilégios que restringem o acesso aos recursos e funcionalidades conforme a categoria do usuário. As  categorias adotadas pelo sistema são 5 (cinco):

 

  1. Visitante (visitor), usuário externo que utiliza o repositório como fonte de consulta. Pode visualizar os depósitos tornados de acesso público pelas comunidades de pesquisa registradas e operantes no repositório institucional, além de realizar pesquisa simples ou avançada do material público. Para outros benefícios desta categoria é necessário autenticar-se no sistema por meio da criação de uma conta de visitante. A autenticação garante ao visitante acesso ao conjunto de depósitos públicos de uma ou várias coleções, além de receber por correio eletrônico novidades do sistema.
  2. Usuário de uma comunidade de pesquisa (community user), nesta categoria pode visualizar todos os depósitos de sua comunidade específica e os depósitos públicos de outras comunidades do sistema.
  3.  Membros de uma comunidade de pesquisa (community member) podem visualizar os depósitos de sua comunidade e os depósitos públicos de outras comunidades. Esta categoria pode, também, inserir ou retirar os seus próprios documentos da coleção de sua comunidade. Toda manipulação desejada necessita da aprovação do administrador da comunidade. O fluxo de depósito obedece as seguintes etapas: a) descrição do depósito quanto à comunidade e coleção, e dentro desta se o documento será público ou privado; b) transmitir eletronicamente o arquivo para o servidor do sistema; c) informar por metadados a descrição bibliográfica do documento para consulta e busca no sistema; c) a informação registrada no sistema é validada.
  4. Administrador da comunidade (community administrator) visualiza os depósitos da sua comunidade e os depósitos públicos das outras comunidades. Esta categoria detém o privilégio de criar e excluir uma coleção na sua própria comunidade. Pode inserir documentos e excluir depósitos realizados por algum membro da comunidade. Qualquer operação adicional necessita da aprovação do administrador do sistema.
  5. Administrador do sistema (system administrator) detém todos os privilégios. Tem acesso completo às funcionalidades de gestão do sistema.

 

Metadados do Archiméde

 

O sistema faz uso do padrão Dublin Core para descrição dos conteúdos depositados. Os metadados de preenchimento obrigatório são mostrados em vermelho para o usuário.  Os elementos e as definições são:

 

§         Titre / Title contém o título e se necessário o subtítulo do documento depositado.

§         Auteur / Author identifica o responsável pela criação do documento, responsabilidade  pelo conteúdo intelectual. Eventualmente o(s) co-autor(es) pode(m) ser incluído(s).

§         Sujet / Subject  – termos que representam o conteúdo do documento.

§         Résumé / Summary – contém o resumo do conteúdo do documento. O resumo pode estar em francês ou inglês.

§         Éditeur /  Editor – pessoa ou instituição que tenha colocado o material disponível.

§         Contributeur / Person having contributed – pessoa que tenha participado da elaboração do documento.

§         Date data associada ao ciclo de vida do documento.

§         Type – natureza  do conteúdo do documento (prepublicação, artigo, etc.).

§         Source – forma na qual o documento está disponível (formato do arquivo).

§         Langue  / Language – idioma do texto do documento.

§         Couverture / Cover -  período de tempo ou geográfico coberto pelo documento.

§         Droits / Rights – informação relativa aos direitos autorais que  associam o documento às condições de difusão, de distribuição e de reprodução. Permite normalmente a identificação das pessoas (física ou moralmente) incluídas nos direitos do documento.

 

Um detalhamento sobre a estrutura dos elementos de metadados, os formulários de preenchimento e o fluxo de operação no depósito de documentos pode ser visualizado no guia de usuário  do sistema.

 

 

Estrutura de linguagem do Archimède

 

O Archimède foi desenvolvido a partir de um conjunto de tecnologias Java e aplicativos de fonte aberta, o que lhe permite uma característica de ser executado em sistemas operacionais variados. Entre os vários aplicativos destaca-se:

 

MySQL – banco de dados relacional.

 

Apache Tomcat  – servidor de aplicações Java.

 

Lucene apache – ferramenta para indexação e pesquisa de arquivos em texto completo.  

 

Apache Server ou Internet Information Server (IIS) – servidores para Internet.

 

OAI-PMH v2.0 OAICat  implementação de protocolo de OAI para repositório

 

 

O programa pode ser copiado no site do sourceforge.net. No endereço os interessados encontram as versões recentes, informações técnicas e podem encaminhar sugestões e comentários sobre problemas encontrados no programa.

 

 

Indicação de modelos de aplicação

 

Por ser um sistema de desenvolvimento recente há poucos exemplos de utilização. Abaixo, listamos alguns endereços que merecem ser visitados para melhor conhecimento do software.

 

Implementação do Archimède na  universidade Laval
http://archimede.bibl.ulaval.ca/

http://www1.bibl.ulaval.ca/archimede/

 

Documentação sobre Archimède

http://www.bibl.ulaval.ca/archimede/

 

 

Contatos para informação sobre o programa: Rida Benjelloun (Chef of Digital Development Section Project Coordinator and Supervisor Laval University Library),

rida.benjelloun@bibl.ulaval.ca ou http://archimede.bibl.ulaval.ca/

 

 

Comentários finais

 

A observação das experiências e do desenvolvimento de sistema para implantação de repositório institucional ou temático indica a opção pela plataforma do software livre de fonte aberto. O desenvolvimento e/ou a customização destas ferramentas conduzem a resultados interessantes para as bibliotecas, com um mínimo de investimento. A escolha do programa requer do bibliotecário responsável, procedimentos de análise e seleção normalmente seguidos para automação de biblioteca, logicamente, com algumas alterações. É importante considerar, na escolha, a cultura organizacional e o perfil e a opinião do usuário. No caso brasileiro, o público a ser abrangido com o novo modelo de comunicação científica é também um especialista (docente/pesquisador), cuja sedução irá requerer dos bibliotecários uma atitude paciente e uma ação de longo prazo para vencer resistências.

 

 

Indicação de leitura

 

Archimède. Disponível em < http://www.bibl.ulaval.ca/archimede/index.en.html> Acesso em 10/11/2005.

 

Benjelloun, Rida. Archimède: a Canadian solution for institutional repository. Library Hi Tech, v. 23, n.4, pp. 481-489, 2005. 

 

Open Society Institute. A guide to institutional repository software. 3rd Edition, august 2004. Disponível em <http://www.soros.org/openaccess/pdf/OSI_Guide_to_IR_Software_v3.pdf> Acesso em: 10/09/2005.

 

Teasdale, Guy. Archimède. Disponível em <https://dspace.ucalgary.ca/handle/1880/375>  Acesso em 10/11/2005.



 Sobre Fernando Modesto
Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.

Entre em contato com Fernando Modesto, clicando AQUI.


Desenvolvido por LLT Hosting & Development © Info Home 2005