LITERATURA INFANTOJUVENIL


LAURENTINO E 1808 PARA JOVENS

Estava na livraria com o Tiago, meu sobrinho de 6 anos, quando descobri um livro. Comprei, coloquei na sacola e, no carro, ele pediu para ver. Tirou da sacola, viu uma coroa de rei em cima do 8 e disse: “este livro é muito velho.” Falei que o Brasil foi descoberto em 1500 e que D. João só veio para o Brasil em 1808. Aí perguntei para ele porque você achou que este livro é muito velho? “Porque o rei já morreu, a rainha já morreu e o príncipe já também morreu.”

 

No domingo cheguei a casa dele com o livro na mão para emprestar para sua mãe. Talvez porque está aprendendo a pesquisar na internet, ele pediu emprestado, foi ao computador e digitou 1808 e disse: - achei seu livro.

 

E eu só achei o livro 1808 para jovens agora, em 2013, e me senti envergonhada, pois ele foi publicado em 2008 pelo paranaense Laurentino Gomes. O livro narra, como na versão adulta, a vinda da Família Real no Brasil.

 

Para Laurentino “o propósito de 1808 – na sua edição original, lançada no Brasil em setembro de 2007 e em Portugal em fevereiro de 2008, e agora também nesta versão juvenil - é contribuir para que esse acontecimento, tão importante na história de ambos os países, se torne cada vez mais conhecido pelos leitores brasileiros e portugueses.”

 

Havia lido e gostado de 1808 para adultos, mas confesso que a versão juvenil me agradou muito mais, então parabenizo o autor e a jornalista Denise Ortiz “[...] que teve o cuidado de preservar todos os detalhes fundamentais que compõem a história da corte no Brasil, excluindo apenas alguns personagens e situações considerados acessórios.”

 

Devo dizer também que gostei muito das ilustrações de Rita Bromberg Brugger que não é um texto complementar e sim um texto paralelo de grande beleza, seus traços são tão precisos quanto as palavras do autor. Seus desenhos são representações da história, podendo também ser utilizados na escola.

 

Fui lendo e imaginando a reação dos jovens ao encontrar essa obra. Quanta curiosidade! Quanto conhecimento!

 

Ainda quero comentar que o subtítulo do livro “Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil” atrai e resume fielmente a obra.

 

O que aprendi com a obra:

 

- o escravo carregava nas costas tonéis com urina e fezes e delas saiam amônia e ureia que escorriam e manchavam sua pele, deixando-a com listras brancas, passando a ser denominados de tigres.

 

- apesar da imagem de D. João de ser um monarca bonachão, o Brasil passou por inúmeras transformações econômicas, sociais e culturais positivas.

 

- D. João não queria deixar o Brasil, por dois motivos: a) era confortável para ele continuar num país onde foi bem recebido e b) estava sem ânimo para enfrentar os problemas em Portugal, país que deixara na miséria por 13 anos.

 

- consta no livro de memória de Napoleão a respeito de D. João VI o seguinte comentário: “Foi o único que me enganou.”

 

Melhor é você leitor ler e destacar o que mais te tocou...

 

GOMES, Laurentino. 1808: como uma rainha... 12.reimp. São Paulo: Planeta do Brasil, 2008.


   261 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
12 MARÇO DIA DO BIBLIOTECÁRIO: PARABÉNS À TODOS, MAS EM ESPECIAL ÀQUELES QUE MEDEIAM LEITURA PARA OS ADOLESCENTES, UM PÚBLICO ATIVO E INQUIETO
Março/2013

Ítem Anterior

author image
BOLHAS, MUITAS BOLHAS EM 2013
Janeiro/2013



author image
SUELI BORTOLIN

Doutora e Mestre em Ciência da Informação pela UNESP/ Marília. Professora do Departamento de Ciências da Informação do CECA/UEL - Ex-Presidente e Ex-Secretária da ONG Mundoquelê.