PRINCIPAL
COLUNAS
CURIOSIDADES
DESBASTANDO O ACERVO E OUTROS TRECOS DA BIBLIOTECONOMIA
EXPERIÊNCIAS
GENERALIDADES
MERCADO
NOTÍCIAS
TEXTOS
PESSOAL
DISCIPLINAS
CADASTRO
CONTATO
(R)EVOLUÇÕES EM BITS
A BIBLIOTECA DO BIBLIOTECÁRIO
AÇÃO CULTURAL
ALÉM DAS BIBLIOTECAS
ARQUIVOLOGIA
BIBLIOTECA ESCOLAR
BIBLIOTECA ESCOLAR - NOVA FASE
BIBLIOTECA PÚBLICA
BIBLIOTECAS ACADÊMICAS
BIBLIOTECAS PÚBLICAS Y COMUNITÁRIAS
BIBLIOTECAS, SOCIEDAD Y ESTADO
BIBLIOTECONOMIA DIGITAL
CINEMA
ESTAÇÃO BIBLIOTECA E AS PLATAFORMAS DO CONHECIMENTO
FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO
GESTÃO EMPRESARIAL NA ERA DA INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO E CIÊNCIA
INFORMAÇÃO E SAÚDE
INFORMAÇÃO JURÍDICA
LEITURAS E LEITORES
LITERATURA INFANTOJUVENIL
MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO
NÃO ESTÁ NO GIBI
OBRAS RARAS
ONLINE/OFFLINE
ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO
PASSOS E ESPAÇOS DO ESTUDANTE
PRÁTICA PROFISSIONAL E ÉTICA
TEMPOS IDOS E VINDOS
ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO
Colunas Marta Ligia Pomim Valentim

GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO E A IMPORTÂNCIA DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL
[Dezembro/2005]

A estrutura organizacional é muito importante para a efetividade da gestão da informação e do conhecimento, pois é a partir dela, da estrutura, que os fluxos informacionais se desenvolvem.

 

Entende-se por estrutura organizacional a organização das atividades, funções e autoridades necessárias para atingir um determinado objetivo e missão.

 

A estrutura organizacional pode ser formal ou informal. A estrutura formal é planejada e formalmente representada por meio do organograma institucional. A estrutura informal é constituída pela rede de relacionamentos existentes no espaço corporativo e, neste caso, as lideranças têm papel fundamental, por isso, ela se desenvolve espontaneamente e é dinâmica1.

 

Na estrutura organizacional existem dois tipos de fluxos informacionais: fluxos formais e fluxos informais. O primeiro refere-se à informação que perpassa formalmente as diferentes unidades de trabalho como diretorias, gerências, divisões, departamentos, setores, seções etc., por meio de memorandos, atas, relatórios, planilhas, e-mails etc.; o segundo está relacionado à informação gerada/comunicada entre as pessoas, por meio das relações humanas construídas nas diferentes unidades de trabalho2.

 

A estrutura organizacional, portanto, influencia enormemente os fluxos informacionais, uma vez que está relacionada aos sistemas de responsabilidade, de autoridade e de comunicação. O sistema de responsabilidades refere-se à alocação de atividades inerentes de um determinado setor; o sistema de autoridade refere-se ao direito de fazer algo e pode ser formal ou informal1; e, finalmente, o sistema de comunicação é o processo pelo qual uma determinada mensagem é enviada por um emissor e recebida por um receptor.

 

 

 

A gestão da informação e do conhecimento ocorre a partir dos fluxos formais e informais corporativos, de tal modo, que a primeira atividade a ser desenvolvida é o mapeamento (mapping) destes fluxos. A partir do reconhecimento destes fluxos é que o trabalho de gestão se inicia.

 

Os fluxos formais podem ocorrer de forma horizontal, transversal e vertical. Os fluxos informacionais horizontais são constituídos por diferentes unidades organizacionais do mesmo nível hierárquico, os fluxos informacionais transversais ocorrem por meio de diferentes unidades organizacionais de diferentes níveis hierárquicos e os fluxos informacionais verticais são construídos por meio de diferentes níveis hierárquicos de uma mesma área organizacional.

 

Os fluxos informais ocorrem tanto no nível estratégico e tático, quanto no nível operacional e, geralmente, ocorrem em rede, os líderes têm papel fundamental, pois são os aglutinadores e os responsáveis pela dinâmica destes fluxos.

 

Baseando-se nestes argumentos, pode-se determinar de que forma os fluxos informacionais tanto formais quanto informais, tecem as informações e os conhecimentos no âmbito organizacional.

 


(3)
 

 

 

A gestão da informação e do conhecimento perpassam todo ambiente organizacional, portanto, a gestão da informação deve focar sua ação junto aos fluxos formais e a gestão do conhecimento deve focar sua ação junto aos fluxos informais no âmbito corporativo, uma vez que uma retroalimenta a outra.

 

------------------------

1 OLIVEIRA, D. de P. R. de. Sistemas, organização e métodos. 14.ed. São Paulo: Atlas, 2004. 493p.

 

2 VALENTIM, M. L. P. Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.3., n.4, ago. 2002. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago02/Art_02.htm>. Acesso em: 30 de ago. 2002.

 

3 CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003.425p.



 Sobre Marta Ligia Pomim Valentim
Doutora em Ciências da Comunicação (ECA/USP). Docente da UNESP/Marília. Coordenadora da Coordenadoria Geral de Bibliotecas da UNESP. Vice-Presidente da Associação de Educação e Investigação em Ciência da Informação da Iberoamerica e Caribe / Asociación de Educación e Investigación en Ciencia de la Información de Iberoamérica y el Caribe (EDICIC). Coordena o Grupo de Trabalho "Gestão da Informação e do Conhecimento nas Organizações" (GT-4), da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Autora de livros na área.

Entre em contato com Marta Ligia Pomim Valentim, clicando AQUI.


Desenvolvido por LLT Hosting & Development © Info Home 2005