TRANSFORMAÇÃO E MARKETING DIGITAL


  • Esta coluna tem a proposta de convergir os temas tecnologias da informação e comunicação com o marketing digital, visando criar um novo momento de discussão para a inclusão sociodigital nas unidades de informação. Abordaremos temas como: mídias sociais, novas práticas de marketing, internet das coisas, big data, e muito mais em torno da evolução do usuário e do profissional na era digital?

A IMPORTÂNCIA DO SEO PARA OS PERIÓDICOS CIENTÍFICOS

 

 

 

As regras de negócios mudaram, pois em todos os setores de atividade, a difusão de novas tecnologias digitais e outras ameaças disruptivas transformam, paulatinamente, os modelos e processos de negócios. Contudo, vale salientar que muito embora a transformação digital envolva tecnologia, compreende-se que sua essência tem muito mais a ver com estratégias e novas maneiras de pensar do que com a tecnologia em si. 

A transformação digital exige que pessoas, negócios e instituições atualizem sua mentalidade estratégica muito mais que infraestrutura de tecnologia de informação, pois foca em cinco domínios estratégicos em mutação no campo digital. Segundo Rogers, no livro “Transformação Digital: repensando o seu negócio para a era digital”, estes domínios são o cliente, a competição, os dados, a inovação e o valor.

Figura - Os 5 domínios da Transformação Digital

 

 

Fonte: Roger (2018)

Essa transformação digital tem sido cada vez mais rápida, dinâmica e impressionante. Coisas que antes pareciam inimagináveis, agora são possíveis graças a técnicas e algoritmos focados no usuário-consumidor e em suas demandas. Uma das áreas que mais sofreram adaptações devido a um mundo que está totalmente conectado é a do Marketing.

Destaco o marketing digital que ocupou seu espaço e se aliou aos motores de busca. Logo, é tempo da Ciência da Informação estudar como um site, dentre bilhões de outros, pode se destacar nas SERPs de resultados de motores buscas populares, trazendo visibilidade para seu título, marca e seus conteúdos. Nesse contexto, o mais relevante está na consideração do que a Ciência da Informação pode compreender de algumas estratégias que envolvem a Otimização de Motores de Busca, ou Search Engine Optimization (SEO), principalmente com relação aos periódicos científicos.

No desenvolvimento de um projeto para a Web, um fator de muita importância e que normalmente é tratado como algo sem relevância pelos editores de revistas científicas, é a otimização do ambiente digital, seja ele um site ou uma simples página, para mecanismos de busca, o SEO.

O SEO funciona como uma propaganda gratuita que produz uma melhor taxa de retorno sobre o que é investido quando comparado com outros tipos ou estratégias de marketing digital, logo, percebe-se que o SEO não pode ser ignorado por produtores de conteúdo que querem se destacar e se manter vivos no mercado, principalmente aqueles que estão em fase inicial e não dispõem de muitos recursos. 

O que se sugere neste breve artigo é que os editores de periódico adicionem ao seu leque de atividades importantes, o desenvolvimento de um plano de marketing digital com ênfase no SEO. Este plano poderia se preocupar em primeira instância com a arquitetura otimizada do site para recuperação nos sites de busca mais populares na Internet. 

De acordo com a literatura especializada (ENGE et al, 2012), a otimização dos mecanismos de busca deve ser incorporada, em prioridade, antes mesmo do total desenvolvimento do site, desde a escolha do sistema de gerenciamento do conteúdo das páginas. Isso porque é preciso que se pense de forma coordenada e padronizada as técnicas de SEO on-site e SEO on-page. 

  • SEO onsite: diz respeito às estratégias e técnicas de SEO que focalizam no todo de um Website, ou seja, em toda a estrutura visível e interna (códigofonte), inclusive suas páginas afluentes.
  • SEO onpage: O SEO onpage observa aspectos mais voltados ao formato, descrição e indexação do conteúdo de um site e suas páginas internas. Logo, ele é mais específico e se relaciona intimamente com o marketing digital de conteúdo.

Conteúdo é tudo

Eis o aspecto que determina desde a determinação dos usuários desejados no site da revista a autoridade do material disponível: o conteúdo é soberano. Então como não utilizar as melhores ferramentas que consigam sinalizar o conteúdo do seu periódico. 

Desse modo, as palavras-chave, descritores e metadados preenchidos no sistema de gerenciamento e nos campos da arquitetura do site das revistas, afetam as pesquisas, pois estes são as principais fontes de informação que os mecanismos de busca utilizam para determinar a natureza de seu site e, por fim, realizar a recuperação. 

Vocês iriam ficar surpresos com a quantidade de periódicos nacionais e internacionais que desconhecem ou não utilizam esses recursos. Subestimam os elementos de rastreamento que os algoritmos utilizam, como classificação, indexação e “linkagem”. 

Assim, em tempos de transformação digital ter um conteúdo relevante lhe garante estar no jogo, mas não lhe garante ganhar as partidas. Um dos desafios das revistas científicas que se coloca no atual contexto é garantir o jogo da atenção nas buscas. 

Saiba o seu nicho e quem são suas personas, mas isso é assunto para um próximo artigo. 

Saiba mais em:

ENGE, E. et al. The art of SEO: mastering Search Engine Optimization. Beijing: O'Reilly, 2012. 574 p.

NEVES, B. C. Marketing digital para instituições educacionais: e sem fins lucrativos. New York: Amazon, 2018.

ROGERS, D.L. Transformação digital: repensando o seu negócio para era digital. São Paulo: Autêntica Business, 2018.

SEO: tudo sobre Search Engine Optimization. Resultados Digitais, 2020. Disponível em: https://resultadosdigitais.com.br/especiais/o-que-e-seo. Acesso em: 2 fev. 2020.


   267 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
QUEM É A SUA PERSONA?
Abril/2020

Ítem Anterior

author image
MÉTODOS: PESQUISA DE MARKETING DIGITAL - PARTE 3
Março/2019



author image
BARBARA COELHO

Doutora em Educação, mestre em Ciência da Informação. Graduada em Biblioteconomia e Letras. Atualmente em estudos de Pós-doutorado sobre Marketing Digital para Educação pela UNB. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFS. Coordena o Laboratório de Tecnologias Informacionais e Inclusão Digital (LTI). Palestrante e autora do livro Tecnologia e Mediação: uma abordagem cognitiva para inclusão digital.